segunda-feira, abril 24, 2017

¿Por qué no te callas, Santiago Bernabéu? Messi, ontem, atingiu as seguintes marcas: 47 gols em 46 jogos na temporada e marcou seu gol de número 500 com a camisa do Barcelona.

Imagem: Autor Desconhecido

No Nordeste quem tem a melhor média de público nos estaduais?

Imagem: Autor Desconhecido


Quem tem a melhor média de público nos campeonatos estaduais nordestinos?

A Bahia ou Pernambuco?

Nenhum dos dois...

A melhor média de público é da Paraíba.

Isso mesmo...

Os paraibanos estão só um pouquinho à frente dos baianos, mas, até, lideram.

Mas essa liderança está subordinada a bons times, grandes jogos e organização impecável?

Na verdade, não...

O que dá a liderança a Paraíba é o Gol de Placa, programa que troca notas fiscais por ingressos.

O Gol de Placa acontece em forma de um convênio com o Governo do Estado...

Resumindo:

O governo subsidia ingressos em troca de notas fiscais exigidas pelos consumidores.

Acabe com o convenio e lá vai o público embora...

Qualquer dúvida quanto à afirmação acima, veja o quadro abaixo com a média de público pagante nos estaduais nordestinos.

Em ralação aos clubes, o Campinense tem a melhor média como mandate...

4.948 pagantes.

No Ceará o domínio é do Fortaleza...

7.370 pagantes.

No Rio Grande do Norte a melhor média é do ABC...

2.755 pagantes.


Estaduais            Público Pagante

Paraibano           2.860
Baiano               2.715
Cearense            2.665
Potiguar             1.230
Pernambucano   1.155
Sergipano           853
Alagoano           800
Maranhense       745
Piauiense           736


Redação do blog com informações do site Sr. Goool.

No fim, não deu certo...

Imagem: Richard Heathcote/Getty Images

Campeonato Mundial de Futsal para atletas com Síndrome de Down...


1º Campeonato Mundial de Futsal para atletas com Síndrome de Down

Por Allyson Bala

A cidade de Viseu fica localizada na região central de Portugal, distante 329 quilômetros da capital Lisboa, foi palco na última semana da primeira edição do campeonato mundial de atletas com síndrome de down.

O campeonato foi organizado pela FIFDS (Federação Internacional de Futebol Para Síndrome de Down) e foi regido pelas regras da FIFA. 

Algumas regras são especificas desse torneio, como por exemplo, cada equipe pode ter dois jogadores com síndrome de Down com mosaico.

No entanto, apenas um jogador pode estar em campo a qualquer momento.

Não é necessário ter nenhum jogador com a síndrome de Mosaic Down na equipe.

Os atletas com mosaicismo, sofrem menos no que diz respeito ao desenvolvimento físico, psicomotor e também o desenvolvimento cognitivo.

O campeonato foi disputado por quatro países, Portugal, México, Itália e África do Sul.

No sistema de pontos corridos onde todos jogaram contra todos.

Quis o destino que a última partida do campeonato entre Portugal e Itália fosse uma “final”, uma vez que a equipe portuguesa chegou a última rodada precisando de pelo menos um empate, enquanto a equipe italiana precisava vencer para sair com o título.

Os italianos desbancaram as vantagens dos portugueses e venceram pelo placar de 4 x 1, sagrando-se os primeiros campeões mundiais de futsal para atletas com síndrome de down e mosaicismo.

A seleção Brasileira foi convidada a participar do torneio, porém não conseguiu os recursos suficientes para que os atletas brasileiros fossem para Portugal, o valor total girava em torno de 290 mil reais.

A próxima edição do mundial acontecerá em 2018 na Itália e a edição de 2019 já está confirmada para acontecer aqui no Brasil. 


Velhos tempos...

Imagem: The Guardian

Na Copa do Brasil somente 15 partidas chegaram aos 10 mil espectadores ou ultrapassaram essa marca...

Imagem: Autor Desconhecido



A Copa do Brasil não anda bem em relação a presença de público...

Apesar de ligeira melhora a partir da quarta fase, a situação não é nada animadora.

83,3% dos jogos tiveram público inferior a dez mil pagantes...

O que significa que das 90 partidas, até aqui realizadas, apenas 15 chegaram aos dez mil pagantes ou ultrapassaram essa marca.

No ano passado, a Copa do Brasil foi encerrada com média de 7.220 espectadores...

Em 2015 foram 8.222 presentes aos jogos.

domingo, abril 23, 2017

A espera da onda ideal... Praia de Cotovelo, Natal, Rio Grande do Norte.

Imagem: Fernando Amaral

Campeonato Potiguar de 2017... ABC vence a primeira partida da final.

Imagem: FNF


O ABC venceu o Globo em Ceará-Mirim...

O gol de Echeverria com a colaboração do goleiro Rafael aproxima o alvinegro do 54º título de campeão potiguar.

É possível resumir a partida da seguinte forma...

No primeiro tempo ninguém jogou e no segundo, só o ABC quis jogar.

Não tivesse perdido tantos gols, o alvinegro, em casa, no dia trabalhador, nem precisaria trabalhar tanto...

Porém, mesmo precisando ter cuidados, o ABC é o favorito.

James Rodriguez...

Arte: Denis Gonchar

Os campeonatos estaduais são mortos vivos...

Imagem: Autor Desconhecido


Defender os campeonatos estaduais e a permanência das ineficientes federações é legítimo...

É uma questão de gosto.

Entretanto, é preciso melhorar a argumentação...

Apresentar dados sólidos e de fontes confiáveis que justificassem a defesa já seria um ótimo começo.

Agora, afirmar que quem tenta desacreditar os campeonatos estaduais é uma minoria, é de fato um verdade das mais verdadeiras...

É só prestar atenção para perceber como os organizadores dos estaduais cumprem esse papel com louvor.

A cada ano as competições por eles organizadas perdem audiência...

Definham.

Os estádios secos de povo, são uma visão desoladora que afasta patrocinadores...

Afinal, ninguém estaciona carrinho de pipoca em lugares onde falta gente.

Os que ainda “investem”, são os mesmos, os amigos...

O retorno não acontece no campo dos negócios, é muito mais uma satisfação pessoal e uma afirmação social.

Um estádio que cabe 18 mil pessoas e só recebe 3 ou 4 mil almas durante uma competição, é a prova que não é a minoria que perdeu a fé, e sim, a maioria que arranjou coisa melhor para fazer...

E se arranjou, não foi só por conta da violência, do péssimo transporte ou em virtude dos abusivos preços cobrados nas bilheterias para espetáculos na maioria das vezes lastimáveis.

As pessoas cansaram de ver jogos ruins, disputados por times que são acordados para encher linguiça durante janeiro, fevereiro, março e um pouquinho de abril...

Terminado o me engana que eu gosto retornam às catacumbas para dormir por longos oito meses.

Mãos para auto...

Imagem: ProSports/Rex/Shutterstock

A luta para reerguer o América...

Imagem: Autor Desconhecido


Eu sei que não há dinheiro...

Já não havia na administração Beto Santos.

Porém, mesmo que houvesse, ainda assim, não seria nada fácil montar um time para uma competição obscura como a Série D...

Nenhum jogador com alguma expectativa de um dia fazer algum sucesso e um mínimo de juízo viria depois de um primeiro contato.

A maioria dos atletas com algum nome sabe que tem mercado nos três níveis acima do fundo poço...

Os que estão se aproximando do ocaso, mas que ainda conseguem enganar aqui e ali, vão esperar.

Os que decidirem sem maiores discussões atravessar os umbrais do inferno, o farão por duas razões...

A primeira é porque ainda engatinham na profissão e, a segunda, é pela certeza que este o único caminho para continuar mais um pouco num mundo que aos poucos os expulsa. 

Resumindo:

Tomara que quem está trazendo a rapaziada que vai buscar reerguer o América tenha rígidos critérios de escolha e sorte nas indicações...

O América não suporta mais um ano no pântano.

sábado, abril 22, 2017

Ramadan Sobhi...

Arte: Denis Gonchar

CBF aumenta mesada das federações...

Imagem: CBF


A CBF apresentou seu balanço anual durante a reunião da Assembleia Geral da Entidade...

O faturamento da entidade no exercício de 2016 ficou na casa dos R$ 647 milhões.

Outro ponto, que chamou a atenção foi substancioso aumento no valor dos repasses para as federações estaduais...

50%.

Até 2015, a base aliada da CBF recebia R$ 50 mil por mês...

Em 2016 passaram a receber R$ 75 mil.

Com esse aumento, o gasto que era de R$ 19,5 milhões, deve saltar para um valor entre R$ 25 milhões e R$ 30 milhões...

O que significa que cada federação vai receber pouco menos de R$ 1 milhão por ano.

Sai pra lá...

Imagem: Stu Forster/Getty Images 

Estado Não Deveria Investir Tanto No Alto Rendimento...

Imagem: Oficina de Imagem


Estado Não Deveria Investir Tanto No Alto Rendimento.

Por Alberto Murray Neto

Nos últimos dez anos nunca o Governo Federal investiu tanto no esporte olímpico.

E nunca investiu tão mal.

Eu sempre disse isso.

E a prova está aí, hoje, palpável, inquestionável, lamentável, de tal forma que o esporte regrediu 20 anos.

Se o Estado tivesse investido na construção da base esportiva 1/10 do que injetou, nesses anos todos, no alto rendimento e na preparação para os Jogos Olímpicos, estaríamos em condições muito melhores.

As escolas públicas, pelo Brasil afora seguem sem praças de esportes, sem aulas de educação física, com professores mal remunerados.

O povo segue sem acesso à prática de esportes.

As competições de base na grande maioria dos esportes continuam sendo patéticas, sem gente, o que significa que não houve desenvolvimento de novas modalidades, que seguem sendo desconhecidas da esmagadora maioria dos brasileiros.

Não se criou uma mentalidade olímpica.

O Brasil não avançou um metro na questão olímpica.

Pelo contrário, como afirmou recentemente o Pajé Olímpico, presidente do COB, “voltamos aos anos 90”.

Portanto, imaginem se nesses dez anos que se passaram um pouquinho desses bilhões tivessem sido investidos na consecução de uma política de esportes de Estado para o esporte brasileiro, em vez desse devaneio que foram os Jogos Olímpicos Rio 2016.

Não é função do Estado, ainda mais em um país pobre, financiar o esporte de alto rendimento.

O Estado pode assessorá-lo, auxiliá-lo, mas nunca, financiá-lo.

Esporte é questão de educação e saúde pública.

Por isso que os esforços e recursos devem ser investidos majoritariamente, sempre, nos alicerces.

Vestindo a carapuça...

Charge: Mário Alberto

Os novos estádios na Europa vão ter até futebol...

Imagem: Reuters


Novos estádios da Europa vão ter até… futebol!

Com investimento total de mais de 11 bilhões de reais, próximas arenas europeias vão contar com atrações criadas para funcionar sete dias por semana

Por Mateus Silva Alves para a Veja com conteúdo de Placar

A Fiorentina anunciou no começo de março o projeto de seu novo estádio, com capacidade para 40.000 lugares, que vai substituir o Artemio Franchi, inaugurado em 1931 e que pode receber 47.000 pessoas.

Não se trata, portanto, de aumentar a quantidade de gente nas partidas, mas de elevar a quantidade de dinheiro arrecadado com o equipamento.

E o clube de Florença não está sozinho nessa.

Nos próximos anos, a Europa contará com sete estádios novos, ou remodelados, e eles terão em comum o fato de não dependerem dos dias de jogos para faturar.

Nos anos 90, surgiu no continente o conceito de estádio de futebol multiuso, com restaurantes e lojas para atrair a atenção (e os euros) dos torcedores antes e depois das partidas, mas agora a ideia é receber o público sete dias por semana.

Para isso, os estádios terão atrações que serão independentes do calendário de jogos dos clubes, e capazes de atrair tanto os fanáticos por futebol (com museus das equipes) quanto quem não tem muito interesse pela modalidade, com centros comerciais e hotéis de luxo, tal qual o que será construído no novo Santiago Bernabéu, do Real Madrid.

Conheça os sete estádios que serão inaugurados na Europa a partir de setembro, quando o Atlético de Madri começará a usar sua nova casa:

Fiorentina

O novo estádio da equipe italiana, com 40.000 lugares, poderá receber mais de 10% da população da cidade de Florença, de cerca de 377.000 habitantes.

Roma

Com o novo estádio, a Roma deixará de dividir a casa com seu maior rival, a Lazio. Os dois clubes usam atualmente o Estádio Olímpico, palco principal dos Jogos Olímpicos de 1960.

Chelsea

Durante a construção de sua nova arena, no mesmo lugar da atual, o Chelsea vai utilizar Wembley, maior estádio da Inglaterra (90.000 lugares) e casa da seleção nacional.

Tottenham

A capacidade do estádio (61.000 lugares) é motivo de satisfação para a torcida do clube de Londres. São cerca de mil lugares a mais do que o Estádio Emirates, do Arsenal, maior rival da equipe.

Barcelona

O novo Camp Nou será o segundo maior estádio de futebol do mundo, perdendo apenas para o Rungrado Primeiro de Maio, de Pyongyang, Coreia do Norte (cuja capacidade varia entre 114.000 e 150.000 lugares, de acordo com a fonte consultada).

Real Madrid

O novo Santiago Bernabéu seguirá à risca o “estilo Real Madrid”, clube que gosta de ostentar seu grande poder financeiro. Entre as atrações do estádio, estará um hotel de luxo, coisa para endinheirados como Cristiano Ronaldo.


Atlético de Madri

Primeiro da nova leva de estádios a ser inaugurado, o Wanda Metropolitano é resultado de uma reconstrução do La Peineta, que seria o principal palco dos Jogos Olímpicos caso Madri tivesse ganho uma das três disputas em que entrou (para 2012, 2016 e 2020).

Dinheiro de sobra

A nova onda de estádios da Europa vai custar caro para os clubes de Itália, Espanha e Inglaterra.

No total, as sete arenas terão custo de 3,375 bilhões de euros, o que equivale a aproximadamente 11,3 bilhões de reais.

O mais caro de todos será o sucessor do White Hart Lane, do Tottenham, que tem o orçamento de 860 milhões de euros (cerca de 2,9 bilhões de reais).

São 300 milhões de reais a mais do que o Estádio Mané Garrincha, de Brasília, a mais custosa das 12 arenas da Copa do Mundo de 2014.

Ao contrário dos estádios construídos no Brasil, no entanto, os sete novos equipamentos europeus serão todos erguidos ou reformulados com dinheiro privado, obtido pelos próprios clubes.

Nesse aspecto, a Fiorentina é quem tem mais dificuldades, pois seus dirigentes admitem que ainda não conseguiram captar os 420 milhões de euros (1,4 bilhão de reais) estimados para a construção de sua nova casa.

Mau exemplo brasileiro

Se os novos estádios da Europa surgirão com a preocupação de serem utilizáveis nos sete dias da semana, muitos dos equipamentos erguidos para a Copa do Mundo do Brasil não são usados sequer para sua finalidade básica, o futebol.

A Arena Amazônia, em Manaus, a Arena Pantanal, em Cuiabá, e o Mané Garrincha, em Brasília, dependem da boa vontade de clubes dos principais centros futebolísticos do país para receber eventos de grande público, ainda assim muito esporadicamente.

O caso da Arena Pantanal é emblemático.

O governo do Mato Grosso não tem dinheiro para fazer obras de manutenção no local e, por isso, o estádio no momento tem capacidade para apenas 10.000l pessoas (31.000 lugares a menos do que a capacidade original).

Os mato-grossenses tinham a intenção de receber na arena um jogo da seleção brasileira nas Eliminatórias para a Copa de 2018, mas desistiram porque, sem as obras, não seria possível liberá-la para receber um público de 41.000 torcedores.

sexta-feira, abril 21, 2017

A solidão da derrota...

Imagem: Bob Thomas/Getty Images

Semifinal da Copa da Inglaterra de 1959... Luton Town 1x0 Norwich City - O público presente é impressionante.

NFL...

Arte: Denis Gonchar

Arena Corinthians: Negócio da China ou Presente de Grego?


Arena Corinthians: Negócio da China ou Presente de Grego?

Por Kevin Muniz

Quem nunca ouviu falar nas expressões “isso aí é um Negócio da China” ou “que presente de grego”, casualmente, a pergunta pode ser feita ao torcedor corintiano.

Vai chegando o mata-mata, aquela emoção bate mais forte, o nervo à flor da pele faz aumentar o grito de apoio, mas, em Itaquera, a situação parece ser mais complicada, na noite de ontem, pela sexta vez consecutiva, o Timão caiu diante de sua torcida em uma partida eliminatória.

Desta vez, coube a equipe colorada do Rio grande do Sul jogar o balde de água fria no sonho do tetracampeonato corintiano na Copa do Brasil.

Com capacidade para 45 mil torcedores e uma média 22.982 pagantes ao ano, o estádio já trouxe aos cofres do clube uma renda bruta de 9,6 milhões somente em 2017.

Em contrapartida, no futebol os números não são tão favoráveis, das seis eliminações no estádio inaugurado para a Copa 2014, a de ontem foi a terceira nos pênaltis.

Anteriormente, Palmeiras e Audax já haviam feito à festa na Arena Corinthians.

Então, resta ao torcedor responder:

O Itaquerão é um negócio da China ou presente de Grego?

Confira as eliminações do Corinthians no Itaquerão:

4/2015 – Semifinal do Paulista – contra Palmeiras (pênaltis)

5/2015 – Oitavas de final da Libertadores – contra Guarani-PAR (tempo normal)

8/2015 – Oitavas de final da Copa do Brasil – contra Santos (tempo normal)

4/2016 – Semifinal do Paulista – contra o Audax (pênaltis)

5/2016 – Oitavas de final da Libertadores – contra Nacional-URU (tempo normal)

4/2017 – Quarta fase da Copa do Brasil – contra Internacional (pênaltis)

Messi caiu de cara no chão...

Imagem: Alejandro Garcia/EFE

Danilo, goleiro que jogou no Alecrim e no Globo, é matéria do El País...

Imagem: Autor Desconhecido


Danilo Clementino, o desconhecido brasileiro que superou Drogba e a malária cerebral

Goleiro é ídolo na África, onde teve sua grande glória e contraiu a doença que quase lhe tirou a vida

Guilherme Padin, de São Paulo, para o El País.

"Toda desvantagem tem sua vantagem."

A frase de Johan Cruyff, um revolucionário do futebol, diz muito sobre a vida e o esporte.

Foi assim que Danilo Clementino venceu todos os obstáculos que estiveram à sua frente.

O goleiro, que até o último domingo esteve no Auto Esporte Clube-PB, superou infância e adolescência difíceis, um pênalti cobrado pelo astro internacional Didier Drogba, e a malária cerebral, doença que, por pouco, não lhe causou a morte.

Perdeu amigos no futebol, esporte que o fez conquistar a vida que sonhou, e ainda dar à família o conforto que não pôde ter enquanto jovem.

Caruaruense de nascimento, trabalhou dos 11 aos 15 anos como ajudante de pedreiro e feirante, função que dividia com a mãe em São Caetano (PE), onde viveram desde que veio ao mundo.

Fez as vezes de seu pai, ausente, e ajudou a cuidar dos três irmãos mais novos, "aceitando todo trabalho que viesse e sempre com muito ânimo", como contou ao EL PAÍS.

Não precisou mais da maçante rotina após um mês de testes no Sport de Recife - aos 15 -, clube pelo qual atuou até 2005.

Próximo do fim de sua passagem pelo Leão, recebeu uma proposta para defender a seleção de Guiné Equatorial, que buscava sul-americanos dispostos a se naturalizarem.

"Eles gostavam do nosso futebol e a língua também facilitava [se fala espanhol, principal idioma, e português no país], então procuravam pelo Brasil e países vizinhos", explicou.

A chance de jogar fora do país e ter estabilidade financeira foi prontamente agarrada pelo goleiro, que na seleção africana atuou por quase uma década, de 2005 a 2013.

E foi nesse período que viveu suas maiores glórias e dificuldades.

Em 2012, a Guiné Equatorial disputou sua primeira Copa Africana de Nações, tida como uma Copa do Mundo para muitos países do continente, que nunca disputaram um Mundial.

"Como éramos um país sede e o grupo era difícil, nos pediram apenas para honrar a camisa da seleção... E fizemos história", conta Danilo, à época, já consolidado como principal nome da equipe embaixo das balizas.

Num grupo complicado, jogar bem contra seleções maiores - Senegal, Líbia e Zâmbia - já seria, para eles, um grande triunfo.

Surpreenderam: vitórias contra os favoritos líbios (1 a 0) e senegaleses (2 a 1), e, portanto, classificação à fase seguinte.

Encarariam, nas quartas de final, a Costa do Marfim, talvez a mais poderosa equipe africana das duas últimas décadas, que contava com astros do calibre de Yaya Touré e Didier Drogba.

Ainda com o 0 a 0 no placar, um pênalti a favor dos marfinenses mudaria a vida do goleiro de infância complicada no interior de Pernambuco.

Ídolo do Chelsea e autor do gol do título da equipe londrina na Champions League de 2012 - o único da história dos blues -, Drogba bateu como se dita a regra: com força e no canto.

O goleiro brasileiro, porém, voou em direção à bola e parou o craque mundialmente conhecido.

Não conseguiu evitar a derrota por 3 a 0 e a eliminação, mas, após a histórica e inédita chegada às quartas e a defesa do pênalti, o resultado não diminuiu a idolatria do povo com Danilo.

"Não me conhecem tanto aqui no Brasil. Mas, lá na Guiné [Equatorial], muitos me pedem autógrafos e fotografias. Aquela defesa me marcou muito", relata ele, com orgulho.

Malária cerebral, coma e superação

Em junho de 2013, após uma das tantas idas à África, durante a disputa das Eliminatórias africanas para a Copa do Mundo de 2014, Danilo voltou ao Brasil sentindo-se mal.

Foi ao hospital e, por engano, foi diagnosticado com dengue, já que os sintomas eram semelhantes aos da malária, enfermidade que realmente o afetara.

Após dois dias passando muito mal, o goleiro precisou ser internado, e um rápido exame detectou o erro dos médicos.

Ele havia contraído malária cerebral, a variação mais danosa da doença.

Dos 22 dias internado, os 11 primeiros foram em coma, num período no qual o pernambucano perdeu 25 quilos.

"Me deram pouquíssimas chances de vida, e ainda disseram que, se eu me recuperasse, não voltaria a jogar, pois minha mão direita estava debilitada", contou Danilo.

Enganaram-se novamente os médicos, talvez por não saberem que a superação era parte presente de toda vida do experiente atleta: bastou-lhe pouco mais de um mês para recuperar o peso, avançar os trabalhos na fisioterapia e voltar a treinar novamente com bola.

Uma vitória que nenhuma partida de futebol ou título poderia superar.

Claudiney Rincon e Dio dos Santos, brasileiros que também atuavam por Guiné Equatorial, passaram por problemas parecidos ao voltarem daquela viagem:

"Dio teve só uma complicação no fígado e logo ficou bem. Mas, infelizmente, perdi meu grande amigo Claudiney. Demoraram para diagnosticar a malária, e, quando descobriram, era tarde demais", explica o arqueiro, que, embora se expresse com facilidade, conta sobre a perda com embargo em sua voz.

Recentemente, outra morte o abalou:

Cléber Santana, capitão da Chapecoense na temporada de 2016 e presente no desastre aéreo que vitimou 71 pessoas, era amigo de juventude de Danilo, já que atuaram juntos na base do Sport, e ainda subiram ao time profissional na mesma época, por escolha do técnico Levir Culpi e sua equipe, que viram potencial nos dois jogadores. 

"A notícia [da tragédia] foi muito triste. Não podemos controlar essas coisas. Mas a amizade fica para sempre", diz ele.

Durante o período em coma, Clementino defendia o Alecrim, do Rio Grande do Norte, onde ficou até 2015, para ir para o conterrâneo Globo-RN.

Ainda atuou pelo Paraíba Esporte Clube antes de ir para seu último time, o Auto Esporte.

O contrato era válido até o fim do Campeonato Paraibano.

Findada a primeira fase do torneio, no último domingo (16), foram definidas as quatro equipes classificadas para as semifinais, e em quinto lugar estava o Auto Esporte, com apenas dois pontos a menos que o Atlético-PB, o quarto colocado.

Assim sendo, a partir desta semana, e por conta de dois pontos, o goleiro está sem clube.

Casado, pai de duas filhas e com os mais distintos desafios superados ao longo de seus 35 anos, Danilo encara o fato de estar sem contrato com a simplicidade de quem já superou pressões e barreiras muito maiores.

"Ainda nem vi isso [procurar pelo próximo clube]. Logo começo a fazer os contatos", afirma o goleiro, que garante que continuará jogando enquanto seu corpo permitir.

Sob o temporal...

Imagem: The Guardian

Cachorros Vip's no Mineirão...

Imagem: Divulgação


O Mineirão criou uma estranha novidade...

A “arcãobancada”.

E o que é isso?

Um espaço VIP para cachorros.

É sério?

Seríssimo.

A novidade foi lançada na partida entre Cruzeiro e São Paulo desta quarta-feira, pela Copa do Brasil...

Agora, o torcedor terá um camarote dedicado aos seus bichos de estimação.

Com capacidade para 60 cachorros e seus respectivos donos, o espaço, batizado de “arcãobancada”, conta com buffet especial, banheirinhos, salão de jogos e tratamento VIP à torcida canina...

O estádio é o primeiro do Brasil a contar com uma área pet friendly.

Na inauguração, apenas animais convidados tiveram acesso ao espaço...

Em maio, no início do Campeonato Brasileiro a “arcãobancada” vai estar aberta ao público em geral.

De cabeça no chão...

Imagem: Roslam Rahman/AFP

Copa do Brasil... 16 clubes representando 9 estados.

Imagem: Autor Desconhecido


As oitavas de final da Copa do Brasil terão representantes de nove estados...

Esta é a maior representatividade dos últimos cinco anos.

Os estados e seus representantes:

Rio de Janeiro: Fluminense, Flamengo e Botafogo;

São Paulo: Palmeiras e Santos;

Minas Gerais: Atlético e Cruzeiro;

Rio Grande do Sul: Grêmio e Internacional;

Pernambuco: Santa Cruz e Sport;

Paraná: Atlético Paranaense e Paraná;

Santa Cataria: Chapecoense;

Pará: Paysandu.

Eis os confrontos das Oitavas de Final...

Atlético Paranaense x Santa Cruz

Grêmio x Fluminense

Flamengo x Atlético Goianiense

Palmeiras x Internacional

Botafogo x Sport

Santos x Paysandu

Chapecoense x Cruzeiro

Atlético Mineiro x Paraná

quinta-feira, abril 20, 2017

Crystal Palace versus Chelsea...

Imagem: Glyn Kirk/AFP/Getty Images

A reforma que o Brasil mais precisa é a do caráter...

Arte: Antonio Tudisco


Depois das críticas ao gesto de Rodrigo Caio e do imenso contingente de pessoas pedindo a derrota do ABC apenas para prejudicar o América, é possível concluir que:

Não precisamos de nenhuma reforma que não seja a de caráter.

Futebol Feminino: Iranduba do Amazonas perdeu a invencibilidade...

Imagem: Michael Dantas/AllSports

O ABC é o Campeão da Copa Rio Grande do Norte... pena que o torcedor faltou.

 
Imagem: FNF


O estádio vazio na hora das comemorações foi patético.

Pior...

Um locutor afirmando que a torcida estava prestigiando a vitória do ABC e a TV mostrando a falta de gente e um solitário sujeito com uma bandeira balançando foi triste.

1.593 pessoas pagaram seus ingressos para ver um jogo ruim de doer...

Essas almas boas e apaixonadas pelo ABC deixaram na bilheteria uma arrecadação de R$ 37.414,00.

A macaca adorou a banana verde... tem mais?

Charge: Mário Alberto

Campeonato Potiguar... Imagens de ABC 2x1 Potiguar.

Un piccolo regalo della Vecchia Signora...

Charge: Mário Alberto

Champions League... Barcelona 0x0 Juventus.

NFL... Panthers.

Imagem: Denis Gonchar

ABC confirma sua superioridade e derrota o Potiguar de Mossoró por 2 a 1...




A decisão da Copa Rio Grande do Norte.

Por Ícaro Cravalho

Acompanhei o jogo do início ao fim e pude perceber que quem realmente precisava da vitória, o Potiguar, não o fez nenhum esforço especial para conseguir seu objetivo.

Pelo menos nos 45 minutos iniciais, não notei nenhuma vontade extra...

Eles até que tocavam bem a bola, porém, pecavam nos últimos passes e não conseguiam penetrar a sólida defesa do ABC.

Lembro-me apenas de uma finalização dos mossoroenses, já no fim da primeira etapa...

Não me parece ser muito, para quem precisa de no mínimo uma vitória para garantir um calendário recheado no ano que vem.

No segundo tempo, a coisa mudou...

As duas equipes deram uma quinada.

O Potiguar pareceu voltar mais ligado, mais atento e com vontade de jogar...

Fiquei animado.

Mas logo constatei que a vontade não tinha amparo na qualidade e que a atenção se evaporou em pouco tempo...

Uma saída errada do goleiro Rafael Dida juntamente com uma falha de comunicação com o seu zagueiro possibilitou ao atacante Nando condição de marcar o primeiro tento do ABC.

Ainda assim, o time de Mossoró tentava o gol...

Mas as tentativas ficam apenas nas tentativas.

A pouca efetividade de seus jogadores de meio-campo e a péssima noite de Robert, artilheiro da equipe, que mais atrapalhou que ajudou ao time mossoroense...

Resumindo: eles me enganaram quando me deram a impressão que haviam voltado para a segunda etapa mais ligados

Já o ABC, mesmo sem mostrar grande coisa, seguiu ampliando a vantagem...

Nando marcou o segundo gol e foi substituído minutos depois.

Inexplicavelmente foi vaiado pela sua torcida, que pedia a entrega do jogo para deixar o América em apuros...

Inacreditável.

O Potiguar, pasmem...

Marcou nos minutos finais.

Encerrada a partida, o resultado mostrou que venceu a equipe mais preparada e com elenco tecnicamente superior.

Companheiro inesperado...

Charge: Mário Alberto

Champions League ... Monaco 3x1 Borussia Dortmund.

quarta-feira, abril 19, 2017

NFL... Patriots.

Arte: Denis Gonchar

Hoje à noite o ABC FC vai confirmar o título de campeão do segundo turno...

Imagem: Arquivo


Logo mais à noite, saberemos se o ABC venceu seu frágil adversário, ou, se sofreu uma “inesperada derrota”...

Se vencer, o alvinegro confirmará sua indiscutível superioridade, num dos campeonatos mais medíocres dos últimos anos.

Se perder...

Bom... não vai adiantar nada tentar explicar.

Chegada do Real Madrid no Santiago Bernabéu...

Imagem: Jesus Alvarez Orihuela/Diário AS

Champions League... Cristiano Ronald com bola e o árbitro com o apito derrotaram o Bayern de Munique em Madrid.

O confronto entre torcedores do Bastia e a equipe do Olympique Lyon...

Imagem: Pascal Pochard Casablanca/Diário AS

CBF fatura R$ 647 milhões...

Imagem: Autor Desconhecido


Mesmo em baixa diante da torcida, a CBF, em 2016 obteve o maior faturamento em sua história...

Durante a Assembleia Geral da Entidade, foram revelados ganhos de R$ 647 milhões no último ano.

O valor superou a receita dos principais clubes do país, que sequer atingiram os R$ 600 milhões...

Porém, o lucro ficou abaixo daquele verificado no ano anterior.

Em 2016 a CBF lucrou R$ 44 milhões...

Em 2015 foram R$ 72 milhões.

O faturamento recorde não impediu que o lucro obtido em 2016 fosse o menor desde 2007...

Walter Feldman, secretário-geral da CBF explicou que a diferença se dá por fatores cambiais entre os dois anos correntes e não preocupa a entidade.

O vice-presidente do Leicester City e filho do dono da equipe, Aiyawatt Srivaddhanaprabha, foi visitar o time antes da partida contra o Atlético...

Imagem: Chema Diaz/Diário AS


Imagem: Chema Diaz/Diário AS

Champions League... Na Inglaterra o Atlético de Madrid empata com o Leicester City em 1 a 1 e está classificado.

terça-feira, abril 18, 2017

Não deu tempo...

Imagem: Justin Tallis/AFP/Getty Images

Ser ético deveria ser regra e não exceção...

Imagem: Autor Desconhecido


É estranho ver que o certo surpreende a todos...

Quando o errado é que deveria nos chocar.

Rodrigo Caio (foto) minimizou sua atitude:  ''Fiz nada, fiz só o que tinha que fazer''.

E não é que ele está coberto de razão...

Viveríamos bem melhor se cada um fizesse aquilo que tem que fazer.

Os aplausos dirigidos a Rodrigo Caio só demonstram que está tudo muito errado...

Ser ético deveria ser a regra e não exceção.

NFL Poster...

Arte: Denis Gonchar

Em Alagoas, segundo pesquisa, o Flamengo é o clube de maior torcida...

Imagem: Autor Desconhecido


O blog do Lauro Jardim, publicou o resultado de uma pesquisa realizada no mês passado em Alagoas pelo Instituto Paraná Pesquisas em Alagoas e que constatou a força do Flamengo no estado...

O Flamengo tem mais que o dobro das preferências dos dois maiores clubes locais (CRB e CSA) somados.

À pergunta "para qual time de futebol o senhor (ou senhora) torce ou simpatiza, os 1500 entrevistados responderam assim:

*Para nenhum: 27,7%

*Para todos: 0,7%

*Flamengo: 21,4%

*Corinthians: 10,2%

*Palmeiras: 7,3%

*São Paulo: 7%

*CRB: 6,3%

*CSA: 4,8%

*Vasco: 3,4%

*Botafogo (time de Renan Calheiros): 1,6%

*Fluminense: 1,5%

*Santos: 1%

*Outros: 3,3%

Juntos na curva...

Imagem: Justin Setterfield/Getty Images

A Caixa Econômica negocia confortavelmente com os clubes...




Negociar com Caixa é tarefa ingrata para os clubes

Para Duda Lopes, poder financeiro do banco deixa clubes com poucas opções

Por Duda Lopes

O Corinthians jogará sem a Caixa no uniforme no próximo fim de semana, em estratégia para endurecer a negociação com o banco estatal.

O clube, no entanto, tem uma tarefa ingrata: brigar com o principal parceiro em um mercado desaquecido e em crise. 

Para a companhia, as conversas com as equipes sempre são mais confortáveis.

O time paulista sabe bem disso.

Quando deixou de ser patrocinado pela Hypermarcas, em 2012, ficou meses sem um aporte máster.

O mercado já dava claros sinais que não arcaria mais com os valores pedidos pelos clubes.

Os grandes de São Paulo sofreram; Santos e São Paulo ficaram longos períodos sem um patrocinador máster.

Em 2016, o Corinthians também foi agressivo na negociação com a Caixa e, assim como acontecerá neste ano, chegou a jogar sem a marca no uniforme.

Conseguiu reduzir a exposição da marca no uniforme e manteve os valores pagos.

Uma grande vitória.

Mas a verdade é que o clube fica refém da Caixa pelos altos valores que a companhia paga.

Times que tentaram renegociar valores mais altos desistiram da missão, caso recente de Flamengo e Vasco, para citar alguns exemplos.

O Corinthians fará seu jogo de cena, mas, se não quiser perder dinheiro, renovará com a Caixa.

Um exemplo disso está nas costas da camisa.

Quando conseguiu liberar o espaço, o clube almejava fechar com alguma empresa por R$ 12 milhões.

Ficou um ano sem parceiro.

Hoje, a Alcatel paga menos da metade desse valor.

No atual cenário, não tem muito segredo para um time grande do futebol brasileiro.

Ou aceita as condições da Caixa, ou receberá menos dinheiro.

Ou, claro, torce para um mecenas cair no colo.

Mas não muitas Crefisas no mercado...